24.3 C
Pedreiras
terça-feira, abril 16, 2024

FOTOGRAFIA|O Dia dos Mortos em Pedreiras

Anualmente, o Dia de Finados leva centenas de pedreirenses aos diversos cemitérios da cidade de Pedreiras, localizada no interior do Maranhão. Boa parte deles fiéis católicos, cujos ritos do dia vão além de limpar o espaço onde se acham seus entes queridos.

Na ocasião, em especial na parte da tarde, lotam não somente o cemitério do Alto São José, que fica próximo ao centro da cidade, como também o cemitério da Barriguda, às margens da MA-122, no povoado Olho D’Água e em outro cemitério à beira da Rodovia João do Vale, próximo ao Instituto Federal do Maranhão (IFMA), Campus Pedreiras, na MA-381. Há quem reze individualmente, outros participam da celebração coletiva com a presença de um ministro da Igreja Católica Apostólica Romana. Há ainda aqueles que preferem o silêncio enquanto as velas queimam. Para todos eles, um ponto em comum: um dia para lembrar de quem partiu de forma mais expressiva.

Nas fotografias abaixo, os repórteres Joaquim Cantanhêde e Mayrla Frazão evidenciam o quão simbólico é o Dia de Finados para parte significativa dos pedreirenses. Um dia que entre o silêncio e a vela que queima, produz sentidos, simbologia e mensagens. A saudade parece duelar com o tempo, num ato de resistência. A morte, no fim das contas, é sobre levar saudade e deixar saudade.

IMG_61777
Cemitério da Barriguda, Pedreiras, Maranhão (Foto: Joaquim Cantanhêde)
IMG_61444
Mulher reza em prol da alma de um ente querido no cemitério da Barriguda, Pedreiras, Maranhão (Foto: Joaquim Cantanhêde)
IMG_61277
Velas acesas, comuns no Dia de Finados. Cemitério da Barriguda, Pedreiras, Maranhão (Foto: Joaquim Cantanhêde)
IMG_60822
Arivaldo Santiago acendeu velas para seus pais no cemitério da Rodovia João do Vale, às margens da MA- 381 (Foto: Joaquim Cantanhêde)
IMG_20201102_143626 (1)
A passos curtos Antônia Frazão se apressa para a missa dos Bem-Aventurados, pela tradicional subida do morro Alto São José (Foto: Mayrla Frazão)
20201102175121_IMG_3855
Velas são como memórias que precisam ser acesas para que sejam reverenciadas (Foto: Mayrla Frazão)
20201102180119_IMG_3878
O dia em que as luzes acendem e em contato com as arvores a presença dos que trazem a luz espanta a solidão. No outro dia, somente as sombras permanecerão (Foto: Mayrla Frazão)
IMG_20201102_185353
Cemitério da Rodovia João do Vale, às margens da MA- 381(Foto: Mayrla Frazão)
IMG_20201102_185800
Olhar para baixo, tocar a terra, a sepultura e a vela. Nos arredores a cruz simboliza a morte e as lembranças a vida (Foto: Mayrla Frazão)

- Publicidade -spot_img
Colabore com o nosso trabalho via Pix: (99) 982111633spot_img
- Publicidade -spot_img

Recentes

- Publicidade -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias relacionadas