21.2 C
Pedreiras
quinta-feira, julho 18, 2024

Gonçalves Dias, ministro do GSI: a primeira baixa do governo Lula

Terrorismo em 8 de janeiro


O governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sofreu sua primeira baixa nesta tarde de quarta-feira (19). Trata-se do general Gonçalves Dias, ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), com quem o presidente estivera reunido horas antes da demissão.

Entenda o caso: a CNN divulgou, nesta quarta, vídeos que mostram Dias no Planalto, em 8 de janeiro, quando prédios dos Três Poderes, foram atacados por terroristas.

“Após alguns minutos, o ministro aparece caminhando pelo mesmo corredor com alguns invasores. As imagens sugerem que ele indica a saída de emergência ao grupo de criminosos.

Em seguida, surgem nas imagens outros integrantes do GSI, que parecem indicar também o caminho de saída para os invasores que estavam no terceiro andar do Palácio do Planalto.

As imagens exclusivas a que a CNN teve acesso mostram que em vários momentos funcionários do GSI e os invasores circulavam no Palácio do Planalto”, destaca a CNN.

Todo este contexto, além de resultar na demissão de Dias, deve desaguar na instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPMI), que naturalmente vai expor e desgastar o governo. O vídeo confirma o que já vem sendo investigado pela Polícia Federal: a omissão do GSI diante da invasão.

O que diz o governo federal?

“A violência terrorista que se instalou no dia 8 de janeiro contra os Três Poderes da República alcançou um governo recém-empossado, portanto, com muitas equipes ainda remanescentes da gestão anterior, inclusive no Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que foram afastados nos dias subsequentes ao episódio.

As imagens do dia 8 de janeiro estão em poder da Polícia Federal, que tem desde então investigado e realizado prisões de acordo com ordens judiciais.

No dia 17 de fevereiro, a Polícia Federal pediu autorização para investigar militares e, a partir do dia 27 de fevereiro, com autorização do Supremo Tribunal Federal (STF), tem realizado tais investigações, inclusive com a realização de prisões.

Dessa forma, todos os militares envolvidos no dia 8 de janeiro já estão sendo identificados e investigados no âmbito do referido inquérito. Já foram ouvidos 81 militares, inclusive do GSI.

O governo tem tomado todas as medidas que lhe cabem na investigação do episódio.

E reafirma que todos os envolvidos em atos criminosos no dia 8 de janeiro, civis ou militares, estão sendo identificados pela Polícia Federal e apresentados ao Ministério Público e ao Poder Judiciário. A orientação do governo permanece a mesma: não haverá impunidade para os envolvidos nos atos criminosos de 8 de janeiro”.

A determinação de Moraes diante de caso envolvendo ex-ministro do GSI

Foto: Antonio Augusto/Secom/TSE

“Na data de hoje, a imprensa veiculou gravíssimas imagens que indicam a atuação incompetente das autoridades responsáveis pela segurança interna do Palácio do Planalto, inclusive com a ilícita e conivente omissão de diversos agentes do GSI”, diz Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal, ao determinar que a Polícia Federal ouça, em até 48 horas, o ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) general Gonçalves Dias.

Para além disso, no documento assinado na quarta-feira (19) e divulgado nesta quinta (20), Moraes também determinou que, em até 24 horas, Ricardo Cappelli, chefe interino do GSI, apresente informações contendo a identificação de todos os servidores – civis e militares – que aparecem nos vídeos, cujo trechos foram divulgados pela CNN-Brasil.

- Publicidade -spot_img
Colabore com o nosso trabalho via Pix: (99) 982111633spot_img
Joaquim Cantanhêde
Joaquim Cantanhêdehttp://www.opedreirense.com.br
Jornalista formado pela Universidade Estadual do Piauí (UESPI)
- Publicidade -spot_img

Recentes

- Publicidade -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias relacionadas