21.2 C
Pedreiras
quinta-feira, julho 18, 2024

Silêncio Mulher!

Ontem, eu olhei pro seu rosto sangrando e lembrei quanto sangue temos derramado. É por esse motivo que não podemos descansar nem por um momento mulheres! Por esse mesmo motivo precisamos ser boas o bastante naquilo que fazemos… E a sensação é que nunca será o bastante. Precisamos ter cuidado ao virar a esquina e ver uma sombra masculina se aproximar, o medo nos dá um frio na espinha na hora, porque sabemos que somos vulneráveis a sua força, poderio, suficiência e também a maldade. Mulheres devem estar atentas sempre, infelizmente.

O que me dói nisso tudo, é o fato de que algumas mulheres ainda dormem um sono profundo, quando presenciam uma violência de longe com suas iguais, fazem o máximo de silêncio possível, afinal, talvez e só talvez ela tenha merecido ser agredida.

O fato é que a dor física é o de menos, a vergonha em uma cidade tão pequena irá perseguir a vítima e não o agressor! E por isso eu sinto muito! Mas também entendo que a neutralidade nunca foi meu papel como mulher e sempre tentarei usar minhas ferramentas a nosso favor. Temos tentado sobreviver bravamente. Espero que você que está lendo essas palavras me entenda, se for homem ouça, se for mulher se posicione, pois os homens ainda podem só observar, nós mulheres não temos essa opção ou privilégio.

Veja bem! Quando calamos, damos a oportunidade para que esse barulho perdure, então compreenda seu lugar. Existe a violência física, psicológica, moral… E a sensação de querer sumir, pois a sociedade faz isso conosco, as vezes sem necessidade de um tapa na face. Então fortaleça as mulheres que estão vivendo isso. Quando ouvir o grito de socorro de uma, ecoe, dê voz, fortaleça o grito. Isso é tudo que temos ainda. Não é inteligente julgar e criar grupos de depreciação e falácias. Crie redes de apoio e ajuda, afinal, pedras já foram lançadas e se continuar atirando com força isso voltará de forma violenta e atingirá sua própria face. Então mulher, esse texto é sobre nossa postura aqui e agora. Nossos cabelos ainda estarão ao vento e nossa sorte lançada como pedras. Mas se abraçarmos a fragilidade uma da outra fortaleceremos a nós mesmas. Isso não é sobre uma e sim sobre TODAS. Se há um lado para se estar, que estejamos no mesmo. Você fez muito e produziu bastante pra ser resumida a um ato covarde… Não me deixe sozinha nisso e você também não estará.

Por Natália Silva – Pedagoga e estudante de psicologia

- Publicidade -spot_img
Colabore com o nosso trabalho via Pix: (99) 982111633spot_img
- Publicidade -spot_img

Recentes

- Publicidade -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias relacionadas