24.3 C
Pedreiras
terça-feira, abril 16, 2024

Samba e bondade: ‘Batukada Solidária’ reúne artistas em show para arrecadar alimentos à Associação Pestalozzi

De ‘Batukada boa’ à solidária, assim o samba protagonizou a união de artistas, neste domingo (05), em uma confraternização organizada pelo grupo musical “Batukada Boa”, pela empresa Rodrigo Iluminações e o renomado Bar do Índio, que reuniu sambistas e pagodeiros em prol da Associação Pestalozzi de Pedreiras, Maranhão. O projeto, que existe desde 2018, contou com a presença das bandas: Sem Pretexto, Elite do Samba, Pagode Recomeço, de Bacabal e participações especiais como o sr. Jurandir Nunes, que subiu ao palco para tocar um samba raiz.

De acordo com o vocalista Leandro Evangelista, [um dos organizadores], o momento se resume em gratidão pelo ano que se encerra e por isso confraternizar com os companheiros de palco e ajudar a Associação Pestalozzi, através da arrecadação e doação de alimentos, é uma forma de retribuir esse sentimento. “Com o intuito de fecharmos o ano com gratidão por tudo que vivemos e por todos os trabalhos que surgiram, nada mais justo do que agradecer a Deus fazendo o bem”, ressaltou Leandro.

A Associação Pestalozzi existe há mais de 15 anos em Pedreiras, e é uma das entidades que trabalha a inclusão social de pessoas com deficiência, dando atenção e realizando cuidados especiais a este grupo, que muitas vezes tem seus direitos feridos, na sociedade, pelo preconceito. É uma organização sem fins lucrativos e que recebe doações para continuar o trabalho.

“Quero aqui expressar a minha, aliás, a nossa gratidão a esse evento tão significante para nós da associação. A palavra é gratidão, primeiramente a DEUS , pois  ele é  o dono de tudo, tudo pertence a ele, desde que foi anunciado o evento eu coloquei  nas mãos  de Deus, e graças a ele fui tudo uma bênção. Grata a equipe e às pessoa que contribuíram. Que deus abençoe  ricamente cada um…Que deus ilumine cada pessoa da nossa cidade para que  possam todos ter um olhar de amor pra essas causas”, relatou Ana Selia, presidente da Associação Pestalozzi.

O samba é cultura, tradição ancestral, tem traços e influencia africana, é rito em muitas comunidades quilombolas pelo Brasil a fora . Em Pedreiras, o samba não morreu, apesar de não estar tão vivo assim pela falta de apoio, como explica Leandro, mas a bandeira do samba, sempre que houver oportunidade será hasteada:

“Como disse Nelson Sargento: o samba agoniza mas não morre. Fazer samba em qualquer lugar é difícil, e em Pedreiras é absurdamente complicado. Sem muito apoio e rodeados por dúvidas, seguimos firmes levantando essa bandeira. mas ontem foi uma janela para as pessoas verem a entrega e a força que empregamos nisso e o quanto levamos nosso trabalho a sério. Levamos alegria para as pessoas. para o samba não morrer, precisamos de apoio, assim como todos os artistas da terra que só são exaltados quando é conveniente”, expressou Leandro.

Leandro Evangelista, vocalista do grupo Batukada Boa (Foto: Mayrla Frazão)

A próxima edição da ‘Batukada Solidária’ para 2022, já tem dia e hora marcada, segundo o vocalista Leandro, que aproveitou para agradecer, não somente aos companheiros de palco que abrilhantaram o evento, como também aos patrocinadores que contribuíram para que o projeto acontecesse. “Obrigado aos grupos Elite do Samba, Sem Pretexto , aos músicos do grupo Batukada Boa e ao grupo Recomeço de Bacabal e um obrigado aos patrocinadores que foram poucos, mas foram de coração”, finalizou.

- Publicidade -spot_img
Colabore com o nosso trabalho via Pix: (99) 982111633spot_img
Mayrla Frazão
Mayrla Frazãohttps://www.opedreirense.com.br
Jornalista - Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão (UniFacema)
- Publicidade -spot_img

Recentes

- Publicidade -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias relacionadas