24.3 C
Pedreiras
terça-feira, abril 16, 2024

O MBL é muito parecido com o bolsonarismo

A compreensão do que é ser cidadão é ter seus direitos garantidos a partir de uma conjuntura que se estabeleça com o pleno funcionamento e ações dos três poderes (executivo, legislativo e judiciário), buscando melhorar a vida da população. Isso nos leva a compreender que essa demanda passa pela visão do que é o Estado moderno – que sem dúvida o melhor caminho para estabelece-lo é uma forte democracia. Portanto, esse deve ser o mais caro entre valores da sociedade – preservar a democracia.

No Brasil, ultimamente, se fala bastante sobre democracia, principalmente a partir da ascensão à presidência de Jair Bolsonaro, que desde apenas Deputado Federal, já demostrava um perfil autoritário e de simpatia com regimes autoritários (Ditadura de 64).

Nesses últimos dias, a palavra democracia foi uma das mais faladas e escritas no meio jornalístico e nas mídias socias. Tudo isso, devido as manifestações do dia 07 de setembro em defesa do presidente, que também possuía pautas como voto impresso e fechamento do STF (Supremo Tribunal Federal). Por isso, na concepção de muitos uma manifestação antidemocrática, já que a mesma prescinde da manutenção das instituições.

Não dá para negar que as manifestações no dia da independência foram grandes. Não poderia ser diferente, já que houve um grande investimento financeiro e ainda contando com todo a mobilização do presidente no poder, se utilizando da máquina estatal; seus apoiadores; setores financeiros e do meio evangélico. Sem contar que mesmo com uma grande rejeição da sociedade brasileira, Bolsonaro ainda tem apoio de mais de 20% do eleitorado.

Por conta desse cenário, era necessário fazer um grande contraponto a essas manifestações. E a primeira tentativa se realizou no dia 12 de setembro com uma manifestação, primeiramente convocada pelo MBL (Movimento Brasil Livre). No entanto, essa tentativa se tornou frustrada e demonstrou um cenário polarizado da sociedade.

O MBL é um dos principais atores que defendem uma terceira via para 2022 – nem Bolsonaro nem Lula. Por isso teve grande dificuldade de mobilizar a esquerda para seu ato, já que partindo de uma concepção que afasta o principal partido de oposição, o PT, afastaram-se também outros movimentos e partidos que apoiam ou simpatizam com a candidatura de Lula.

Outra questão que afastou os movimentos sociais dessa mobilização do dia 12 de setembro, é que parte dessas entidades veem com muita desconfiança o antibolsonarismo do MBL, que em parte se parece muito com o perfil do governo Bolsonaro, principalmente na pauta econômica. Bolsonaro e MBL defendem entregar a nossa soberania com as privatizações. O MBL, entre outras coisas, defende também os vouchers para a educação, o armamento da sociedade brasileira, ‘escola sem partido’ e ainda é reconhecido como um dos principais disseminadores de fake news. Todas pautas do Bolsonarismo

Dentro desse contexto, apesar de já próximo ao evento o MBL ter retirado a chamada “Nem Bolsonaro, Nem Lula”, mantendo esse perfil muito próximo às pautas do governo, seria muito difícil agregar outros movimentos e partidos da esquerda, principalmente o Partido dos Trabalhadores. Com toda certeza o MBL queria contar com um grande número de pessoas de outros movimentos para ganharem notabilidade, sem nunca terem participado de nenhuma outra mobilização quando os mesmos não eram os protagonistas.

Outra questão importante a se ressaltar no cenário atual: é praticamente impossível uma terceira via, diante de toda essa polarização. Mesmo com a participação de uma pequena parte de partidos de esquerda, os mesmos não tiveram poder para uma grande mobilização e por essa questão e outras tantas, o MBL juntamente com quem participou do evento, saíram menores do que antes.  

Para fazer uma frente ampla para chamar o ‘fora Bolsonaro’ e lutar verdadeiramente pela democracia, é preciso, antes de mais nada, defender projetos sociais e econômicos que de fato se contraponham ao governo Bolsonaro e não somente falar da boca pra fora que defende a democracia. Democracia é o povo ter seus direitos garantidos e respeitados, e o MBL no momento não representa a democracia que representa o povo, mas apenas a “democracia da elite”, entreguista e cheia de preconceitos contra os valores e as demandas populares.

Por Jaime Ribeiro Lopes, professor de geografia e militante do Partido dos Trabalhadores (PT)

- Publicidade -spot_img
Colabore com o nosso trabalho via Pix: (99) 982111633spot_img
- Publicidade -spot_img

Recentes

- Publicidade -spot_img

1 COMENTÁRIO

  1. Defendendo a pauta de democracia e filiado ao PT ??
    Vistes o Lula defendendo (e financiando) ditaduras no mundo por 30 anos, andando, defendendo e se relacionando comercialmente com países que tiram a voz do povo e suas liberdades, ainda acreditas q ele prega democracia falando abertamente em censura???
    A politica não é romantismo, acreditar em lindas palavras e esquecer da feia realidade só mostra uma alienação de nível alarmante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias relacionadas