28.5 C
Pedreiras
domingo, abril 14, 2024

Elas e eles pelo fim da violência contra a mulher

“O que a gente quer? Que homens conversem com homens”, diz educadora


“Rede de Enfrentamento à violência contra a mulher”. Foi este o tema trazido durante evento de encerramento do ‘agosto lilás’, ação promovida, na noite desta quarta-feira (31), sob organização do curso de Serviço Social da Faculdade de Educação Memorial Adelaide Franco – FEMAF. Com casa cheia, contou com a presença de diversos atores sociais com protagonismo na educação, administração pública, judiciário e direitos humanos.

“O mês de agosto é marcado pela luta, para o fim da violência contra as mulheres. Anualmente, inúmeras organizações, públicas e privadas, realizam campanhas educativas para conscientizar as pessoas a respeito do tema. Principalmente sobre a relevância de denunciar agressões das mais variadas”, ressaltou Joelma da Silva Lopes, mestre de cerimônia e acadêmica do curso de Serviço Social.

Pedreiras é parte de um contexto maior, ainda mais desafiador para mulheres e instituições que galgam o caminho da transformação de uma realidade violentamente marcante. Um levantamento desenvolvido por comunicadores do Nordeste, a partir da formação do Instituto Sou da Paz, mostra que o Maranhão “se configura como o estado da região Nordeste menos transparente quando se trata de indicadores de violência contra as mulheres”. Dados são importantes e vitais.

Fotos: Joaquim Cantanhêde

Quem acompanha de perto lidando ou pelos noticiários, não tem dúvida do crescimento de casos de violência contra a mulher, apesar dos inúmeros dispositivos criados para punir agressores, e políticas públicas para amparar mulheres violentadas e promover educação sobre o assunto.

“Nada melhor do que a gente estar conversando neste espaço, o universo acadêmico. Daqui sairão futuros profissionais – assistentes sociais, advogados, psicólogos, pedagogos, educadores físicos – preparados para atuarem nesta problemática”, ressalta Viviane Soares, coordenadora do curso de Serviço Social.

Dentre as falas da noite, ouviu-se a voz de Dina Selma, Secretária da Mulher de Trizidela do Vale, e Weyna Barros, advogada e representante da Secretaria da Mulher de Pedreiras, na ocasião. Ambas, além de esclarecimentos sobre a temática discutida, pontuaram ações desenvolvidas em prol das mulheres em cada uma das gestões municipais. Já Dra. Karla Karine de Melo Bezerra, falou sobre como a Defensoria Pública do Maranhão atua na garantia dos direitos, entre eles, o de mulheres vítimas de violência.



Foi lançado o vídeo do projeto “Homens de Paz”, que tem à frente Cíntia Coelho Araújo, assistente social que integra o corpo docente da FEMAF. Seu objetivo norteador é a inclusão de homens em rodas de conversa. A metodologia do projeto inclui a realização de encontros semanais, com duração de 3h, organizados por alunos dos diversos cursos ofertados pela instituição. Um dos passos é refletir.

“O que a gente quer? Que homens conversem com homens. Dialogar com eles. Prevenir as situações de violência”, ressalta a educadora Cíntia Coelho, que objetiva estender a ação para comunidades rurais. Segundo previsão, o mês de outubro é a data prevista para início do projeto “Homens de Paz”.

- Publicidade -spot_img
Colabore com o nosso trabalho via Pix: (99) 982111633spot_img
- Publicidade -spot_img

Recentes

- Publicidade -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias relacionadas