31.9 C
Pedreiras
segunda-feira, outubro 18, 2021

EDITORIAL | O machismo tem representantes no Plenário Messias Rodrigues; absurdo

São indignantes as cenas registradas na sessão desta quarta-feira (06), na Câmara de Vereadores de Pedreiras. Durante o uso da palavra a vereadora Katyane Leite teve sua fala violentamente interrompida pelo parlamentar Emanuel Nascimento, que minutos antes, a chamara de “mentirosa”, insatisfeito com repercussão da votação de um projeto tido como inconstitucional pela maioria dos parlamentares, na semana passada. Ao ser rebatido, ele então se levanta e tira, à força, o microfone da parlamentar. Katyane se apropria de outro e ele novamente toma o microfone dela.

“Você não vai falar”, bradava o vereador em cenas que dispensam legendas.

“Vereador, pode não”, diz a parlamentar Iaciaria Rios, no áudio captado pela transmissão. Uma funcionária intervém, indo até o parlamentar descontrolado. As omissões também provocam indignação, entre elas a paz com que o vereador Jotinha observa a cena. Nas cenas, nenhuma reação verbal da presidente Marly Tavares é registrada, apesar de estar entre os dois vereadores.

Na política, divergir é natural, argumentar mais ainda. Acusações devem ser amparadas com provas, mas quando uma mulher fala e um homem se levanta para a silenciar, isso tem nome: violência e machismo.

Fazemos questão da redundância: toda e qualquer violência e retirada de direitos, deve ser, dentro da força da lei, rechaçada e coibida, ainda mais quando praticada por um representante público, com a gravidade de ter ocorrido na ‘Casa do Povo’. Nos solidarizamos com a parlamentar e todas a mulheres feridas com uma ação, que mancha a história do Plenário Messias Rodrigues. Por todas as pedreirenses: que se faça justiça!

O Pedreirense

- Publicidade -spot_img
Colabore com o nosso trabalho via Pix: (99) 982111633spot_img
- Publicidade -spot_img

Recentes

- Publicidade -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias relacionadas