26.4 C
Pedreiras
segunda-feira, abril 15, 2024

Com a união (ou silêncio) dos políticos, o Maranhão paga mais alto a conta

OPINIÃO


O Maranhão perde uma enorme oportunidade de realinhamento da máquina pública estadual para tornar o estado mais competitivo, mais empreendedor e iniciar o tão esperado processo de reversão da pobreza histórica.

A propagada união da classe política dominante, patrimonialista e atrasada é na verdade uma farra sem precedentes, uma “festa pobre”. A Unidade do governador ao vereador, incluindo deputados, senadores, ministros de estado e até uma parte da sociedade maranhense, calou a boca de todos eles. É a defesa apenas dos interesses deles, visando perpetuação no poder, com financiamento dos cofres públicos, claro.

A maioria nem se importa mais em torna explícito a defesa dos seus privilégios, fazem isso desavergonhadamente sem a necessidade de apresentar um plano para garantir ao Maranhão recuperação, retomada sustentável e inclusiva no pós COVID ou propostas para tirar a população do triste quadro de pobreza e fome.

Justamente quando o Maranhão precisa tanto de um governo arrojado, experiente e empreendedor, temos toda a máquina pública voltada apenas para a classe política, se metendo apenas em disputas eleitorais e interferência em tribunais de contas e no poder judiciário, nas indicações de membros que tem o poder de fiscalizar o poder executivo e o legislativo.

Os Leões que ornamentam a sede do governo do Maranhão não rugem mais como no passado, e se tornaram velhos leões de circo, domesticados e engessados pelo corporativismo político que atrapalha o crescimento econômico do estado, impondo ao povo pobre um alto custo para “alimentar” os ocupantes diretos e indiretos do palácio.

Qual é o custo que a população do Maranhão paga para manter os poderes públicos executivo, legislativo e judiciário? Qual é o retorno aos maranhenses de cada esfera destes poderes?

Qualquer chefe(a) de família ou empreendedor(a) deve ter essas respostas na condução familiar ou empresarial! Todo bom maranhense deve ter clareza o custo benefício de cada um deles para a sociedade.

Logicamente nem todos gostarão de demostrar ou discutir com seus financiadores(povo), qual a sua eficiência e importância diante dos recursos públicos provenientes do bolso de cada contribuinte.

Principalmente quando pior do que a quantidade do gasto, é a qualidade do gasto, como irei mostrar nas próximas semanas.

Já tarda esse debate! O povo pobre do Maranhão não tem mais condição de bancar tanta regalia com baixa eficiência e ínfimos benefícios para a população.

A “grande união” na verdade é um pacto entre a elite política e parte da sociedade para manter espaços políticos oligárquicos a pessoas que morreriam de fome sem o dinheiro público.

A verdadeira união que precisamos é a de um estado para todos, sem a atual separação entre a bolha estatal, com uma casta privilegiada, incluindo gente que nunca trabalhou na vida construindo fortunas a custa da segunda bolha, a dos homens e mulheres dando sangue e suor para custear a bolha política, cada vez mais cega, insensível e destemida, pois quanto mais unida eles forem, menos satisfação a dar!

Acorda Maranhão!!!

Por Simplício Araújo, ex-secretário de Indústria e Comércio do Maranhão


Observação: O jornal O Pedreirense, além do trabalho jornalístico, abre espaço para que cidadãos manifestem suas opiniões sobre pautas importantes. Estejam eles em cargo de poder ou não. Todos os matizes políticos podem se manifestar em nosso espaço, desde que as opiniões, revisadas pelo conselho editorial, observem o seguinte ponto, contido em nosso primeiro editorial: “Somos espaço para a manifestação do pensamento. Perspectivas de natureza político/social devem ser extraídas do pautável, amparadas pela ciência. A pluralidade de ideias são bem vidas, mas nenhuma delas deve traçar fuga do “princípio da dignidade da pessoa humana e os valores da democracia, da liberdade e do pluralismo”, pilar de nossa linha editorial.”

A publicação de artigos de opinião não representam vínculo de qualquer natureza, entre autores e o jornal O Pedreirense. Quando necessário o OP se manifesta, sempre, via editorial.

- Publicidade -spot_img
Colabore com o nosso trabalho via Pix: (99) 982111633spot_img
- Publicidade -spot_img

Recentes

- Publicidade -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias relacionadas